Segunda, 17 de Maio de 2021
69 98133-2589
[Portfólio] etiene.com.br ABRIL LARANJA

Prefeitura cria programa para informar sobre maus-tratos contra animais

O mês de abril é dedicado ao combate à crueldade animal e a conscientização sobre a posse responsável

13/04/2021 11h47
72
Por: ETIENE GONÇALVES Fonte: SMC
Divulgação
Divulgação

A promoção da integridade de cães e gatos é o objetivo do Programa de Bem-Estar e Proteção Animal, criado pela Prefeitura de Porto Velho, com a proposta de atender as demandas de casos de maus-tratos contra os bichos. O programa atende ao que está previsto na Lei federal 9605/1998 Art.32, que trata da prática de abuso, maus-tratos, ferimento ou mutilação a animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos.

Conforme o programa, a responsabilidade pelo monitoramento e fiscalização dos crimes contra estes animais é da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Sema), Polícia Civil e Ministério Público.

Segundo o médico veterinário Bruno Gondim Sadeck, estão em criação normativas e instrumentos para atender as demandas que surgem no município. “Tivemos aprovação de uma Lei específica em outubro do ano passado, a Lei 825/20, e estamos trabalhando em novas propostas de legislação que vão nortear o trabalho da secretaria", disse.

LIBERDADES

O Farm Animal Welfare Council (Comitê de Bem-Estar dos Animais de Fazenda), órgão consultivo independente do governo da Grã-Bretanha, elaborou um documento que apresenta as boas práticas de bem-estar animal, bem como a legislação do assunto. As regras são seguidas no mundo inteiro.

As boas práticas indicadas pelo órgão britânico definem o que ficou conhecido como diretos dos animais através das seguintes libertadas: estar livre de fome e sede, estar livre de desconforto, estar livre de dor doença e injúria, ter liberdade para expressar os comportamentos naturais da espécie e estar livre de medo e de estresse.

As atitudes das pessoas que prejudicam a manutenção destes direitos são consideradas crimes. “A Lei que trata sobre maus-tratos já está em vigor. Recentemente, foi aprovado o aumento da penalidade, que é prisão de dois para cinco anos para estes crimes, multas e proibição da guarda. Há ainda os processos administrativos, civis e criminais que tramitam junto com as multas. Os valores dependem da gravidade do ato”, explicou.

BALANÇO

De acordo com o Programa de Bem-Estar e Proteção Animal, de janeiro de 2019 a março de 2020, em Porto Velho, houve 33 ocorrências registradas diretamente na Secretaria do Meio Ambiente, sendo 80% delas por agressões a animais. Os outros 20% se concentram nas situações de abandono, ausência de liberdades e falta de assistência médico-veterinária. De março de 2020, até o momento, foram 10 casos registrados, sendo a maior parte por abandono.

CORONAVÍRUS

O médico veterinário destaca que há notícias sensacionalistas sendo difundidas de que os animais contraem a Covid-19, fato que leva algumas pessoas a abandonarem os bichos. Sobre este fato, não há nenhuma comprovação científica.

Segundo ele, o que pode ocorrer é o animal ter contato com uma pessoa positivada e receber o vírus através de um espirro, por exemplo, e o vírus se manter na pelagem do animal funcionando como uma superfície de contato contaminante. Se outra pessoa passar a mão no pelo do animal e não fizer a higienização correta pode ser infectada.

O médico veterinário diz que a questão financeira das pessoas, agravada em decorrência da pandemia, também leva ao abandono do animal. “Muita gente ficou sem emprego. Sem condições de se sustentar, também enfrentou dificuldades com a manutenção e cuidados com seu animal, porque o custo com a alimentação, banhos em pet shops e assistência médica-veterinária de um animal é alto", avaliou Bruno Sadeck.

MÊS LARANJA

Durante todo este mês – denominado de Abril Laranja-, em todo o país, estão sendo realizadas iniciativas que promovem a sensibilização quanto aos maus-tratos de animais. Mas, devido à pandemia, as campanhas educativas são feitas apenas com postagens em redes sociais.

DENÚNCIAS

As denúncias de maus-tratos aos animais se concentram em dois órgãos: Polícia Civil (197) e Ministério Público de Rondônia (3216-3700). Após a recepção das denúncias, os órgãos solicitam a presença da Sema para acompanhar os fatos, pois em alguns casos, é necessária uma avaliação técnica para configurar o crime.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias